08/06/2012

Ser cristão...

Ser cristão é mais do que ser religioso, católico ou civilizado. É mais do que uma mera e educada declaração cultural que parece identificar alguns povos do mundo ocidental. É viver um compromisso sério e fundamentado na pessoa de Jesus. É aprender com ele e viver de acordo com os seus ensinos integrais.

Mas, para ser cristão, é preciso tornar-se cristão, em primeiro lugar. Nascer numa família cristã ou num país que se diz cristão não é suficiente para o ser. O primeiro passo tem que ser uma decisão pessoal e consciente. E esta decisão não é um exercício meramente cognitivo. Não basta saber coisas acerca de Jesus. É preciso existir uma entrega pessoal. A Bíblia chama isso de fé. Não só saber que Jesus é o Salvador e Senhor, mais do que um filósofo e homem bom, mas exercer uma fé que nos leva a uma entrega completa e incondicional. Imaginem um miúdo em cima de um muro e o pai, cá em baixo, a dizer: “Salta, eu apanho-te!”. Saltar é fé. Sem este momento de decisão, não há cristianismo. Sem entrega da nossa vida a Ele, não somos dele ("Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;" João 1:12). Com entrega, por outro lado, abdicamos dos direitos que temos sobre a nossa vida, para deixar que Ele seja, de facto, o Senhor, o Dono, a Autoridade das nossas vidas e, consequentemente, o nosso Salvador.

Os cristãos receberam, pela primeira vez esta designação, em Antioquia, não porque fosse um elogio à sua urbanidade, mas como forma de desprezo e escárnio, tal era a forma como falavam desse Cristo e procuravam viver de acordo com os seus ensinos. Como nos distanciámos disto! Habituámo-nos e acomodámo-nos a uma designação cultural que mais parece hereditária e não sentimos qualquer necessidade de conformarmos a nossa vivência aos ensinos daquele que afirmamos seguir.

O cristianismo integral implica auto-negação ("Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me." Lucas 9:23), obediência ("Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando." João 15:14), sacrifício ("Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos." João 15:13), arrependimento ("Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus." Mateus 4:17), perdão ("Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete? Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete." Mateus 18:21-22), pacificação ("Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;" Mateus 5:9), pureza ("Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus;" Mateus 5:8), humildade ("Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;" Mateus 5:5), amor ("Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos." I João 3:16), não vindicação ("Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra;" Mateus 5:39), etc.

És cristão?

Sem comentários:

Enviar um comentário