24/04/2006

Morrer de fome, ao lado de comida...

Conta-se a história de alguém que queria fazer um cruzeiro. Então, começou a poupar dinheiro. Quando conseguiu juntar o dinheiro suficiente, comprou o bilhete. Infelizmente, o preço do bilhete custou todas as economias que esta pessoa tinha. Mesmo assim, lá foi. Era a realização de um sonho.

Precavida, esta pessoa levou algum pão e bolachas, para se alimentar. Afinal, não tinha dinheiro para mais nada, depois de ter pago o bilhete.

O cruzerio começou e a alegria inundou este viajante! Em cada dia, no momento das refeições, este viajante dirigia-se ao seu camarote para lanchar qualquer coisa. Comia do seu pão e das suas bolachas.

No entanto, como o cruzeiro era longo, o pão acabou e as bolachas, um pouco depois, também.
A partir deste momento, as coisas começaram a complicar-se. A fome começou a apertar. Dentro de poucos dias, o nosso viajante começou a enfraquecer e chegou mesmo a adoecer. Dentro de poucos dias, o inevitável aconteceu: o viajante morreu!

Se, ao menos, tivesse lido no bilhete que as refeições estavam incluídas no preço do bilhete...


Quando embarcamos na viagem de uma vivência cristã sadia, num relacionamento pessoal de amor com Deus, somos inundados por uma indescritível alegria! No entanto, pensamos que é só isso... Não esperamos que seja também o próprio Deus a suprir as nossas necessidades, ao longo do caminho.

Precavemo-nos com os nossos recursos, aptidões, capacidades, bens, etc... Mas, não percebemos que estes são finitos e não podem satisfazer a nossa alma. Só Deus o pode fazer!

Em vez de comer pão duro e bolachas cheias de bolor, vamos saborear as iguarias inigualáveis que o nosso Pai tem ao nosso dispor, no banquete que nos preparou! "Dizei aos convidados: Eis que já preparei o meu banquete; os meus bois cevados já foram abatidos, e tudo está pronto; vinde para as bodas." (Mateus 22:1-10)

1 comentário:

  1. Belo texto! Parabéns pela sua iniciativa e que Deus o abençoe, bem como ao seu Ministério!

    Paulo Comis

    ResponderEliminar